É bíblico rezar pelos mortos no Dia de Finados?

Desde o século II é prática comum da igreja católica rezar pelos mortos. De lá até hoje, milhares de católicos mantiveram esse ato para homenagear os seus entes queridos. Afinal, o que a Bíblia nos ensina sobre esse assunto? Eu devo prestar homenagens àqueles que já morreram. Posso rezar por pessoas que já se foram? Antes de responder se posso rezar ou não por pessoas que já morreram, vou explicar alguns pontos.

É natural que familiares queiram manter o túmulo do seu ente querido bonito e bem arrumado. A história dos judeus nos conta que quando a família do falecido era rica, o túmulo era decorado de figuras, palavras de conforto e o nome do falecido, algo semelhante ao que vemos hoje nos cemitérios. Essa é uma maneira de expressar o carinho e respeito pelo ente querido. É uma atitude válida.

Nos evangelhos, lemos também que as mulheres foram ao túmulo de Jesus para ungir o seu corpo com perfumes para neutralizar os odores da decomposição. “No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro” (MT 28.1). “É verdade também que algumas mulheres, das que conosco estavam, nos surpreenderam, tendo ido de madrugada ao túmulo” (Lc 24.22).

Nos exemplos acima, percebemos que as pessoas em nenhum momento foram ao túmulo com a intenção de rezar pelos mortos, ainda que existisse um certo amor pelo ente querido. A Bíblia nos ensina em Hebreus 9.27 “que aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo”. Ou seja, não há reza que mude o estado espiritual do falecido. Após a morte física, resta apenas o julgamento.

Portanto, não é bíblico a prática de rezas para os mortos em nenhum dia. O momento de rezarmos uns pelos outros é em vida. Aproveite a oportunidade para rezar ou orar a Deus por seus familiares, apresentando a causa de cada um deles.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *